segunda-feira, 13 de agosto de 2012

ÁGATA 5: FAB transporta material de emergência do Ministério da Saúde

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                                     Foto: Agencia Força Aérea 

Em função das grandes distâncias e da vasta quantidade de pistas de pouso na região da operação, a FAB está sendo utilizada para o transporte logístico na região da Operação Ágata 5. 

O Comando Logístico da Área de Operações, o CLAO, identificou as necessidades médicas, recebeu e programou a distribuição de KITS emergenciais, também conhecidos como KITS DESASTRE, por se aplicarem às situações de calamidade pública. Cada KIT atende aproximadamente 500 pessoas, durante um período de 3 meses e estão sendo destinados às populações localizadas em locais de mais difícil acesso, na fronteira.
 
Estes KITS fazem parte de um conjunto de suprimentos estratégicos do Ministério da Saúde que, sensibilizado pelo Ministério da Defesa, foram descentralizados para uso das Ações Cívico Sociais (ACISO) das Forças Armadas na região da Operação, principalemente por se aplicarem facilmente ao primeiro atendimento, tal como ocorrem nestes tipos de ação.

Para que o planejamento logístico pudesse se materializar na assistência à população, houve um grande esforço logístico interministerial, coordenado pelo CLAO, cuja missão é o de coordenar a execução da distribuição deste material. Segundo o Comandante Logistico da Área de Operações, Contra-Almirante Fuzileiro Naval Paulo Martino Zuccaro, metade do material foi deslocado para a região Centro-Oeste e a outra metade para a região Sul da área da operação Ágata 5.

Na ocasião, o material médico foi deslocado do Rio de Janeiro para Brasília, nas instalações da Base Aérea de Brasília, de onde partiu para a fronteira. “A velocidade com que a FAB cumpriu a missão foi admirável”, diz o Comandante Zuccaro, que aproveita a entrevista para agradecer diversos setores da Força Aérea, além daqueles diretamente envolvidos na Operação. Segundo o piloto da FAB que realizou o transporte dos remédios, cuja identidade é preservada por razões de segurança, é motivo de grande realização profissional participar de missões desta natureza, contribuindo para que estes fármacos cheguem onde ninguém mais consegue fazer chegar.


Fonte: Agência Força Aérea