domingo, 6 de abril de 2014

Exército recebe primeiro lote de viaturas Guarani

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com.br
                                                                   Fotos: Divulgação/EB
No dia 24 de março, o Exército Brasileiro passou a contar com um moderno e poderoso instrumento para operações militares de ataque, defesa, patrulhamento e missões de paz: a Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP-MR) Guarani.                                            
O primeiro lote com 13 veículos foi entregue oficialmente ao 33º Batalhão de Infantaria Mecanizado em Cascavel (PR), numa cerimônia que contou com a presença do Ministro da Defesa, Celso Amorim, e do Comandante do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri.
Desenvolvido a partir de pesquisas empreendidas por diferentes unidades do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, a família de blindados Guarani está sendo produzida em parceria com a multinacional italiana IVECO.
Na cerimônia de entrega do lote de 13 blindados, o Ministro Celso Amorim destacou que a entrada em operação dos Guarani "é um evento significativo, que representa este novo momento de reequipamento das nossas Forças Armadas".
Para o Comandante do Exército, o desenvolvimento do Guarani é um "projeto vitorioso". A expectativa é que, ao longo de 20 anos, 2.044 blindados sejam fabricados e disponibilizados à Força Terrestre.
O Guarani irá substituir as famílias de blindados Urutu e Cascavel – em operação há quase 40 anos nas Forças Armadas. A previsão é que um total de 86 veículos seja entregue até o final do ano nos batalhões de infantaria de Foz do Iguaçu (PR), Apucarana (PR), Francisco Beltrão (PR) e no Centro de Instrução de Blindados em Santa Maria (RS). "É um meio moderno e eficiente. Um marco no processo de transformação das nossas tropas", avaliou o Comandante Militar do Sul, General de Exército Carlos Bolívar Goellner.
Com capacidade para 11 homens – sendo nove combatentes, um atirador e um condutor –, o blindado Guarani contém, além de ar condicionado, uma série de inovações tecnológicas: baixa assinatura térmica e radar – o que dificulta sua localização pelos inimigos; proteção blindada para munição perfurante incendiária e minas anticarro; navegação por GPS; freios ABS; visão noturna; motor de 383 cv, com velocidade máxima de 100 km/h; sistema de gerenciamento de campo de batalha; e sistema de consciência situacional.
O Guarani também é preparado para navegação, com hélices traseiras que lhe dão capacidade anfíbia. Suas torres podem ser equipadas com canhões de munição de 30mm, além de metralhadoras .50 e 7,62mm. É projetado para atingir alvos aéreos e terrestres. Desde 2013, os militares dos batalhões de infantaria mecanizado das regiões Sul e Centro-Oeste estão recebendo adestramento específico para operar o novo blindado.