sexta-feira, 13 de abril de 2012

Falece em acidente aéreo o empresário e aviador Fernando de Arruda Botelho

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
Time line do Blog Renan Contrera no Facebook 
https://www.facebook.com/pages/Blog-Renan-Contrera/273349159365266
 


Com certeza perdemos um grande colaborador para a aviação,
vou registrar aqui a minha aventura pessoal com Fernando Botelho.
 Fiz esta imagem sobre Brasília, a dificuldade de manter
 o voo era muito grande e ficamos muito preocupados na época,
 mas ele não...
O empresário e acionista do Grupo Camargo Corrêa, Fernando de Arruda Botelho, morreu no início da tarde de hoje, 13 de Abril, em um acidente aéreo no interior de São Paulo. Ele e o piloto Sérgio Luiz Robattino, da Morro Vermelho Taxi Aéreo, empresa da qual Arruda Botelho também era acionista, foram carbonizados após o avião em que voavam cair nas proximidades de seu aeródromo, criado pelo executivo na década de 80, na cidade de São Carlos.
Fernando de Arruda Botelho também foi o idealizador e principal organizador da Broa Fly-In, uma das maiores feiras de aviação da América Latina, que ocorria anualmente em seu aerodromo, sempre em junho, mês de seu aniversário. Para esse ano, a 12ª edição da feira, a Broa espera receber mais de seis mil pessoas durante os três dias de evento. Apenas em negócios, a feira movimenta anualmente mais de US$ 100 milhões.
                                                                                                Fotos:Asas Metálicas
Apaixonado por aviação, o empresário fundou o Instituto Arruda Botelho, em Itirapina, que em parceria com Sesi, Senai e USP construiu réplicas do Demoiselle, segundo avião criado por Santos Dumont –depois do 14 BIS. “A missão do projeto é resgatar a história da aviação e divulgar o nome deste herói brasileiro e sua contribuição para o desenvolvimento da história da aviação mundial”, informa o site do instituto.
O instituto também promove preservação ambiental e do patrimônio histórico e artístico, desenvolvimento social e difusão cultural no Brasil e no exterior.
Foi nas proximidades do seu aeródromo, que conta com uma pista de 1,5 mil metros e uma área total de 400 mil metros quadrados, que Arruda Botelho faleceu. Ele estava a bordo de um avião antigo, Trojan T-28, utilizado por forças armadas de vários países, inclusive a marinha brasileira, na década de 60. O empresário trouxe este avião dos Estados Unidos no início do ano passado e era o único deste modelo voando no Brasil. Por volta das 12:30 o avião sofreu uma pane, caiu em um canavial nas proximidades da pista e explodiu.
A aviação brasileira perde um de seus maiores incentivadores e visionários.
Fontes – Folha.com / Estadão/ Asas Metalicas