terça-feira, 11 de dezembro de 2012

FAB celebra Dia da Infantaria

Renan Contrera
renancontrera@hotmai.com
                                                                    Fotos: VI COMAR

As unidades de Infantaria da Força Aérea Brasileira (FAB) sediadas em Brasília celebraram nesta terça-feira (11) o Dia da Infantaria, comemorado em 11 de dezembro. A data faz alusão à criação das primeiras Companhias de Infantaria, no ano de 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. A solenidade militar, realizada na Base Aérea de Brasília (BABR), foi presidida pelo Comandante do Comando Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.
O ano de 2012 foi marcante para a Infantaria da FAB. Este ano, foram ativadas duas unidades de Artilharia Antiaérea de Autodefesa, a primeira em Canoas e a segunda em Manaus. Também foi ativado o núcleo da Brigada de Artilharia Antiaérea de Autodefesa, sediado no COMGAR. A previsão é que em 2013 seja criado o terceiro Grupo de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (GAAAD), em Anápolis, seguindo o mesmo projeto das primeiras unidades.

“Com a ativação do terceiro GAAAD, provavelmente teremos a criação da Brigada de Artilharia Antiaérea de Autodefesa, com o surgimento de mais uma vaga de Oficial General de Infantaria”, afirmou o Brigadeiro de Infantaria, Amilcar Andrade Bastos, chefe da Subchefia de Defesa e Segurança, do Comando Geral de Operações Aéreas (COMGAR).


Para o Brigadeiro Bastos, a publicação da Doutrina de Emprego da Força Aérea (DCA 1-1), que orienta todo o preparo das unidades de Infantaria da Aeronáutica, mostrou a real importância da Infantaria da FAB, relatando seu protagonismo em diversas missões. Segundo a DCA 1-1, “a proteção da Força é a Tarefa Básica realizada com o propósito de prover um ambiente operacional seguro e necessário ao emprego da Força Aérea, em contraposição às ameaças inimigas”.

O Brigadeiro Bastos enfatizou o grande momento vivido pela Infantaria. “A FAB tem buscado proporcionar cursos em segurança operacional para mobiliar nossas equipes de resgate e operações especiais e esperamos continuar com esse crescimento em 2013”, disse.

“Cada vez mais devemos perseverar no cumprimento da missão, que agora está explícita de forma bem mais clara. O foco da Tropa de Infantaria tem que ser as ações de Força Aérea, conforme preconiza a nossa doutrina de emprego”, finalizou o Brigadeiro.


Fonte: Agência Força Aérea