quarta-feira, 25 de setembro de 2013

LAÇADOR - Conhecimento recíproco entre as Forças Armadas torna defesa mais eficaz, diz Amorim

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

ministro da Defesa, Celso Amorim, ressaltou a importância da realização de exercícios conjuntos entre a Marinha, o Exército e a Aeronáutica na proteção do Brasil. Segundo ele, "somente através do conhecimento recíproco das três Forças é que é possível defender o país de maneira mais eficaz, com maior economia de meios e mais eficiência de resultados". A afirmação foi feita na manhã desta segunda-feira, durante visita às instalações do Comando Militar do Sul (CMS), localizado na capital gaúcha e onde ocorre a coordenação da Operação Laçador.

Em sua passagem pelo CMS, Amorim conheceu as salas de monitoramento de toda a ação conjunta e assistiu a palestra sobre o andamento da operação. Na exposição, ouviu dos responsáveis por cada atividade realizada, como se deu a participação da Força Naval na transposição de curso d´água; a atuação do Exército na defesa de estruturas estratégicas; e o estabelecimento de superioridade aérea.

O comandante militar do Sul e coordenador da Laçador, general Carlos Bolivar Goellner, elencou ao ministro os principais objetivos da operação, tais como integridade territorial e soberania, manutenção de patrimônio e infraestrutura, entre outros.

"Realizamos ações de guerra, ofensiva e defensiva, e de não-guerra, na garantia da lei e da ordem", disse o general. E completou: "É um aprendizado grande em termos de operações conjuntas. A ideia é que, futuramente, possamos ampliar o exercício para que ele seja interligado a outros países".

O ministro também esteve presente na Direção do Exercício (DIREX). No local, militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica criam problemas militares simulados, como ataques, impacto na mídia, pressão internacional, alvos a abater e vulnerabilidades, que ocorrem em uma guerra fictícia entre exércitos Verde e Amarelo.

Durante a visita, Celso Amorim foi acompanhado pelos comandantes das Forças Naval, almirante Julio Soares de Moura Neto; Terrestre, general Enzo Martins Peri; e Aérea, brigadeiro Juniti Saito; além do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, e do chefe de Operações Conjuntas da Defesa, brigadeiro Ricardo Machado Vieira.

Em entrevista a jornalistas, que estiveram no CMS, o ministro da Defesa explicou que a Operação Laçador é uma ação de "adestramento tanto técnico quanto operacional". Para ele, a atividade é importante, também, para revelar o que ainda é preciso progredir para o trabalho em conjunto.

A Operação Laçador acontece entre os dias 16 e 26 de setembro na região Sul do país e envolve 8 mil militares das três Forças. Este é o 35º exercício conjunto realizado desde 2002 pelo Ministério da Defesa.


Fonte: MD