quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Cenipa reúne mais de 50 comandantes para discutir a prevenção de acidentes

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
Foto: Divulgação/FAB

   Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) realiza a partir desta terça-feira (25/02) o Estágio de Gerenciamento Avançado da Prevenção (EGAP). O evento realizado em Brasília é dedicado exclusivamente a aviação militar. Cerca de 50 comandantes de grupos, unidades aéreas, unidades das Forças Armadas, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de todo o país participam do EGAP.
O estágio, que faz parte da programação anual de cursos do CENIPA, visa familiarizar os gestores militares com o tema prevenção. Além da prevenção, o curso desenvolverá palestras sobre a manutenção de aeronaves, prevenção de acidentes organizacionais, entre outros.
Em entrevista à Força Aérea FM, o Chefe do CENIPA, Brigadeiro do Ar Luis Roberto do Carmo Lourenço fala sobre  a importância do evento, a queda no número de acidentes da aviação militar, a participação de militares estrangeiros no EGAP e dos planos do Centro para o ano de 2014, entre eles, a realização do II Simpósio da aviação militar brasileira, previsto para abril, e como o Cenipa estará envolvido na Copa do Mundo. Ouça abaixo a entrevista.

Entrega de platina marca o término do Estágio dos cadetes na Academia da Força Aérea

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
Fotos: Cb Diego/AFA
Entrega de Platinas emociona familiares  CB DiegoA cerimônia militar de entrega de platinas e apresentação do estandarte da Academia da Força Aérea (AFA) aos cadetes do 1º Esquadrão do ano de 2014 foi realizada no dia 21 deste mês. O evento marcou o término do Estágio de Adaptação e início da vida militar dos até então estagiários, e teve como ponto alto a entrega das platinas, que é o primeiro símbolo do cadete que almeja ser oficial. 
Durante a cerimônia, o estandarte da AFA foi apresentado aos novos cadetes, o qual representa as armas da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, Forças que originaram a aviação militar brasileira. Em latim, seus dizeres já adiantam aos jovens o ingrediente essencial na formação do futuro combatente: “MACTE, ANIMO! GENEROSE PUER, SIC ITUR AD ASTRA” que traduzido livremente significa: “Corage, jovem. É assim que se alcança os céus”.
 
Durante 40 dias, os jovens foram levados a seus limites, com intensa rotina de instruções sobre conduta militar, ordem unida, atividades físicas e regulamentos da Aeronáutica. “Esse momento foi muito importante. É uma sensação de emoção e orgulho por ter passado essa fase. Sentimento de vitória”, ressalta o cadete Davi do 1º Ano, 19 anos, natural de São Paulo (SP).
 
O nome escolhido pela turma é Fenrir, lobo mitológico nórdico que era um dos animais inimigos da casta dos deuses Aesir, com a característica de conseguir quebrar as correntes de todos os materiais experimentados, representando a capacidade de romper todas as barreiras visando ao poder e à prontidão para o combate. Expressa ainda uma forma ideal de valores, princípios e sentimentos a serem adotados por todos os integrantes do Esquadrão.
 
Após quatro anos, os Cadetes que concluírem o curso com sucesso serão nomeados Aspirantes-a-Oficial e se formarão em dois cursos de nível superior, tornando-se bacharéis em Administração Pública e bacharéis em uma das especialidades: Ciências Aeronáuticas, com habilitação em Aviação Militar; Ciências da Logística, com habilitação em Intendência da Aeronáutica; ou Ciências Militares, com habilitação em Infantaria da Aeronáutica. 
FONTE: Agencia Força Aérea

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Adestramento de ataque é realizado a bordo do Submarino S 33 “Tapajó”

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
Fotos: Defesa Aérea & Naval

Tapajos
Alte Esq Palmer acompanhando procedimentos de imersão
No dia 11 de fevereiro, o Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Luiz Fernando Palmer Fonseca, participou de um adestramento da equipe de ataque e manobras operativas, a bordo do Submarino S 33 “Tapajó”, no litoral do Rio de Janeiro.
O Almirante Palmer estava acompanhado do Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, Almirante-de-Esquadra (FN) Fernando Antonio de Siqueira Ribeiro; do Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Sergio Roberto Fernandes dos Santos; e de um convidado, o Sr. Sérgio Prado.
Tapajo-7
Após o embarque, a comitiva assistiu às orientações sobre segurança e salvamento. Em seguida, o Submarino “Tapajó” suspendeu da Base Almirante Castro e Silva, em Niterói (RJ), e, na saída da Baía de Guanabara, mergulhou para dar início ao adestramento.
Os procedimentos da manobra de imersão, nos compartimentos de comando e manobra do submarino, foram observados pelo grupo, que também acompanhou as ações do navio em governo e profundidade.
IKL-209-1400 S-33 Tapajo
Na última etapa do exercício, durante o guarnecimento da Equipe de Ataque e a simulação de ataque ao tráfego marítimo de oportunidade, os presentes puderam observar o funcionamento do novo Sistema de Combate Integrado do navio, constituído de um conjunto de equipamentos que integram a direção de tiro com os sensores de bordo e seus periféricos de auxílio à navegação, permitindo uma acurada compilação do quadro tático. Ao término do adestramento, o submarino cumpriu os procedimentos de retorno à superfície, regressando à base.
Terceiro submarino brasileiro construído no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro e incorporado à Armada em 1998, o “Tapajó” pertence à classe “Tupi”. Recentemente, participou da Comissão “Deployment 2013”, operação militar conjunta com a Marinha dos Estados Unidos da América, durante a qual realizou 135 dias de mar, ao longo de sete meses de comissão.
FONTE : Nomar

FAB apresenta esquema de defesa aérea para a Copa do Mundo

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com                                    Foto: Agência Força Aérea/Sgt Batista

 A Força Aérea Brasileira (FAB) apresentou, na manhã desta segunda-feira (17/02) o esquema operacional que será empregado durante a Copa do Mundo da FIFA no próximo mês de junho. O planejamento foi exposto aos comandantes de todas as unidades operacionais, bem como das bases aéreas.

"O envolvimento da FAB vai além do emprego de aeronaves" destacou o Comandante-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, ao ressaltar a importância do evento para o país. “Todos tenham atenção especial. Já temos experiência de outros momentos, como a Copa das Confederações, a Rio+20 e a Jornada Mundial da Juventude, mas a Copa é infinitamente maior”, afirmou o oficial-general na abertura do evento.

A principal novidade da atuação da FAB na Copa do Mundo está na modificação da estrutura interna para o comando do planejamento e emprego dos meios aéreos na defesa aérea. O Centro Conjunto de Operações Aéreas (CCOA), antes sob o comando do COMGAR, agora está sob a responsabilidade do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), único comando conjunto permanentemente ativado no país. O órgão, que também envolve a Marinha e o Exército, vai coordenar a mobilização dos meios aéreos e antiaéreos nas 12 cidades-sede do evento.

Testada em setembro do ano passado durante a Operação Laçador do Ministério da Defesa, realizada na região Sul do país, a modificação demonstrou que seria possível buscar um novo patamar na evolução doutrinária para a unidade de comando e esforço para o emprego militar. A medida também permite aprimorar o aproveitamento da estrutura e das aeronaves empregadas, além de melhorar a coordenação das ações. “É possível, é viável, é mais econômico e permite mais agilidade”, explica o Comandante da Terceira Força Aérea (III FAE), unidade responsável pelos esquadrões de caça da FAB, que esteve a frente do CCOA durante a Laçador.

Aeronaves de caça, transporte, helicópteros e aviões-radar serão diretamente empregados na defesa aérea na região dos estádios e deslocamentos de tropas.

Restrição de circulação aérea
Para cada estádio foram estabelecidas áreas reservada (branca), restrita (amarela) e proibida (vermelha) para a circulação aérea. As regras são semelhantes as estabelecidas durante a Copa das Confederações. No período dos jogos, o espaço aéreo próximo aos estádios será submetido a restrições de voo. Para a abertura e encerramento, serão três horas antes e quatro horas após o início do jogo. Para a primeira fase da competição, o tempo de restrição será de uma hora antes e três horas depois. Nas demais fases, uma hora antes e quatro horas depois. Em breve, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), vai divulgar o Plano de Controle do Espaço Aéreo com as regras específicas para cada aeródromo durante o período do mundial.


Fonte: Ministerio da Defesa

Helicóptero da Marinha realiza procedimento inédito de reabastecimento em pleno voo

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                             Fotos: Divulgação/ 2ª Esquadrão de Helicopteros
Pela primeira vez, o helicóptero UH-15 Super Cougar, da Marinha do Brasil, realizou reabastecimento em pleno voo (Helicopter In-Flight Refueling - HIFR). A operação ocorreu em conjunto com a Fragata Constituição (F-42) no início do mês nas proximidades da Ilha Rasa, no litoral fluminense. O objetivo do procedimento é aumentar a autonomia de voo da aeronave, já que poderá ser reabastecida mesmo quando não houver disponibilidade de pista (convoo) para pouso.
O UH-15 Super Cougar pertence ao 2º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral. Para o reabastecimento em voo, o helicóptero teve, antes, de realizar manobras em volta da Fragata para fazer testes com a mangueira vazia e, assim, atestar a segurança do procedimento. Logo depois, o tanque da aeronave foi preenchido.

O exercício de reabastecimento eleva o nível de preparo das unidades da Força Naval e contribui para a interação navio-helicóptero. Com isso, a Esquadra demonstra plena capacidade para operações de esclarecimento e também de ataque.
Quatro pilotos e cinco operadores foram qualificados durante o treinamento. Também foram adestrados no procedimento as equipes de convoo, do passadiço do navio e do Centro Operações de Combate (COC).

Fonte: Ministerio da Defesa

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Comunicado da Embraer sobre o incidente aeronáutico com o Super Tucano

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

embraer_logo_padrao_azul
São José dos Campos, 19 de fevereiro de 2014 – A Embraer informa a ocorrência de um incidente hoje pela manhã, em Gavião Peixoto (SP), envolvendo uma aeronave Super Tucano, quando um dos pilotos se ejetou durante manobra de treinamento, chegando ao solo com segurança. O outro piloto a bordo comandou o pouso da aeronave normalmente.
A ocorrência já foi comunicada ao Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da Força Aérea Brasileira.
Fonte: Defesa Aérea & Naval

Copiloto de avião se assusta com manobra, ejeta assento e sobrevive

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com                             FOTOS: Portal Ternura FM
EVAM Copiloto_02O copiloto de 47 anos se ejetou de uma aeronave após uma manobra de risco realizada durante uma aula de instrução, na manhã desta quarta-feira (19), em Tabatinga, região de Araraquara (130 quilômetros de Bauru). O fato aconteceu por volta das 10h, próximo do quilômetro 38 da rodovia Deputado Victor Maida (SP-331).
De acordo com a Polícia Militar (PM), Carlos Alberto Gonçalves estava recebendo instrução como copiloto em uma aeronave modelo Super Tucano, pertencente à Embraer, quando teria sido realizada uma manobra arriscada.
Ele teria se assustado, acionou o paraquedas e se ejetou da aeronave, caindo em um canavial. Em seguida, o piloto conseguiu pousar o avião na base da Embraer em Gavião Peixoto e comunicou a equipe de resgate sobre a ocorrência.
EVAM Copiloto
Carlos foi socorrido e encaminhado ao hospital de Araraquara com lesões nas pernas, onde permanece internado para atendimentos médicos. Apesar do impacto da queda, os ferimentos não foram graves.
A reportagem entrou em contato com assessoria de imprensa da Embraer, que confirmou que Carlos Alberto se ejetou durante manobra de treinamento, mas chegou ao solo com segurança e não sofreu ferimentos mais graves.
EVAM Copiloto_01
A ocorrência foi comunicada ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira, que investigará o acidente.
Bell Huey Embraer
FONTE: JCNet via Defesa Aérea & Naval
FOTOS: Portal Ternura FM
NOTA DO EDITOR: É prematuro demais tirar qualquer tipo de conclusão a respeito da(s) causa(s) que levou (levaram) a ejeção do copiloto da aeronave da Embraer, bem como, se houve ou não motivos que colaboram para a ocorrência do mesmo.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Jovem é capturado e preso em Tanabi

Renan Contrera 
renancontrera@hotmail.com

[logo+pm.jpg]Jovem foi capturado e preso na tarde desta quarta feira 05 de fevereiro. O menor desrespeitou ordem de parada da Policia Militar e prendeu fuga, infringiu vários sinalizações de transito e colocando a vida de pedestres que transitavam pela via em risco. Também tinha um mandado de busca e apreensão emitido pelo Juizado da Infância e da Juventude da 1ª Vara Criminal do Fórum de Fernadópolis.
Em patrulhamento a guarnição da Policia Militar de Tanabi deparou com o condutor, o qual não obedeceu os sinais de parada e assim evadindo-se da viatura. A guarnição iniciou o acompanhamento do jovem H.H.V. A guarnição comunicou o COPOM (Centro de Operações da Policia Militar) que enviou apoio,  uma moto da ROCAM (Ronda Ostensivas com Apoio de Motocicletas) para a tentativa de fazer um cerco.

Mas o condutor desrespeitou varias sinalização de transito na areá central de Tanabi, na fuga o individuo chocou-se com uma motocicleta que estava estacionada pela Rua Sete de Setembro, ocasionando dano no veiculo, mas continuou em fuga ate a Rua Élcio Menegasso onde o condutor foi abordado e vistoriado.

Condutor foi conduzido pela guarnição da Policia Militar ate a Santa Casa para ser feito curativos no pé esquerdo no qual se feriu na colisão. O mesmo não portava a Carteira Nacional de Habilitação (C.N.H), bem como estava sendo procurado por mandado de busca e apreensão.

O jovem foi apresentado ao Delegado de Policia Civil sendo apreendido e recolhido para a cadeia publica de Guarani d'Oeste, o veiculo recolhido para o patio mediante comprovante de recolhimento e auto de infração lavrado foi elaborado Boletim de Ocorrência por Desobediência (artigo 39 do Código de Transito Brasileiro). 

A genitora do jovem acompanhou a ocorrência.