quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Forças Armadas tem novos comandantes

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com.br

A última quarta-feira (7) foi de intensa movimentação no Palácio do Planalto para a definição dos novos comandantes das Forças Armadas. A presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Defesa, Jaques Wagner, se reuniram ao longo do dia com os atuais dirigentes da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, do Exército, general Enzo Peri, e da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, para escolher os futuros responsáveis pelas políticas públicas e diretrizes administrativas e operacionais da área militar do país - veja arte abaixo:
Pouco após as 20h, a Presidência da República divulgou nota oficial com os nomes dos novos dirigentes das Forças Armadas: o almirante-de-esquadra Eduardo Barcellar Leal Ferreira será o comandante da Marinha do Brasil; o general-de-exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas comandará o Exército Brasileiro; e a Força Aérea Brasileira está sob a direção do tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato.
As datas das transmissões de cargo dos novos comandantes das Forças Armadas ainda serão definidas.
Almirante Leal Ferreira
Foto: Felipe Barra
Almirante Leal Ferreira
Almirante Leal Ferreira
O almirante-de-esquadra Eduardo Barcellar Leal Ferreira nasceu em 2 de junho de 1952 no Rio de Janeiro. É filho do também almirante-de-esquadra Luiz Leal Ferreira – já falecido. O novo comandante da Força Naval ingressou na carreira militar em 1971. Foi declarado guarda-marinha pela Escola Naval em 1974.
Especialista em eletrônica, Leal Ferreira acumulou funções diretivas e condecorações em seus mais de 40 anos de carreira. Permanceu embarcado por 16 anos, acumulando 1,3 mil dias no mar. Chegou ao generalato em março de 2004 e alcançou o posto de quatro estrelas – almirante-de-esquadra - em março de 2013.
Antes de chegar ao posto mais alto da Marinha, Leal Ferreira estava no comando da Escola Superior de Guerra – instituição acadêmica vinculada ao Ministério da Defesa. Foi também comandante-em chefe da Esquadra, diretor de Portos e Costas e Comandante do 7º Distrito Naval – com sede em Brasília. 

 General Villas Bôas

Foto: Felipe Barra
General Villas Bôas
General Villas Bôas
Nascido de 07 de novembro de 1951 em Cruz Alta, região central do Rio Grande do Sul, Eduardo Dias Costa Villas Bôas é filho do militar Antônio Villas Bôas. Ingressou no Exército em 1967 na Escola Preparatória de Cadetes do Exército em Campinas (SP). Atleta de natação e polo aquático, Villas Bôas foi declarado aspirante-a-oficial pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) em 1973.
Infante, Villas Bôas tem larga experiência em funções de comando e também de assessoria. Notabilizou-se por sua atuação na região amazônica, onde comandou o 1º Batalhão de Infantaria de Selva, em Manaus, chefiou o Estado-Maior Conjunto do Comando Militar da Amazônia (CMA), órgão do qual se tornou comandante posteriormente.
Villas Bôas foi promovido a general-de-exército em julho de 2011. Em 2014, assumiu a chefia do Comando de Operações Terrestres (Coter) do Exército, sendo um dos responsáveis pelo planejamento de segurança e defesa para a Copa do Mundo Fifa 2014.
Brigadeiro Rossato
Foto: Tereza Sobreira
Brigadeiro Nivaldo Rossato
Brigadeiro Nivaldo Rossato
Nivaldo Luiz Rossato nasceu em 26 de agosto de 1951 na cidade de São Gabriel, sudoeste do Rio Grande do Sul. Ingressou na Força Aérea Brasileira (FAB) em 1969. Foi declarado aspirante-a-oficial pela Academia da Força Aérea (AFA) em dezembro de 1975. Chegou ao generalato em julho de 2003, ascendendo a tenente-brigadeiro do ar em 31 de março de 2011.
Líder de Grupo de Aviação de Caça, Rossato acumula mais de 3,5 mil horas de voo. Além disso, possui cursos nas áreas de piloto de caça, líder de esquadrilha, líder de esquadrão, piloto operacional de transporte de tropa e inspetor de aviação civil.
Ao longo da carreira, ocupou mais de 20 funções de comando, assessoramento e instrução na FAB. Antes de ser designado dirigente maior da Força Aérea, Rossato ocupava o cargo de chefe do Estado-Maior da Aeronáutica.
Fonte: Ministério da Defesa