quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Justiça publicou condenação dos acusados de matar taxista em setembro do ano passado

Renan Contrera

Foi publicada pela Comarca de Monte Aprazível a condenação dos dois acusados de matarem um taxista em setembro do ano passado. O crime teve grande repercussão na região. Os dois foram condenados a 23 anos de prisão.
Foto: Johnny Torres/Diário da Região
Juniho e Davi foram condenados a 23 anos de prisão
José Roberto Ramos Júnior e Davi Silva de Oliveira foram condenados à sentença de 23 anos de prisão pela morte do taxista Bento da Cruz Gonçalvez, 63 anos. Segundo o inquérito, os dois teriam confessado o crime, ainda foram eles que levaram os policiais no local onde o corpo estava num canavial em Engenheiro Balduíno que é distrito de Monte Aprazível.

O crime ocorreu em 5 de setembro de 2015, onde Davi e Juninho como é conhecido ligaram para o taxista solicitando uma corrida para Monte Aprazível. Entraram no carro e anunciaram o assalto, levaram o Bento no canavial onde foi morto. Os dois levaram da vitima o carro, celulares e dinheiro. 

O carro foi encontrado no dia seguinte numa casa abandonada num canavial nas proximidades da Fundação Casa de Tanabi.

As investigações da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) levaram até os dois suspeitos, que além de confessar o crime levaram os policiais onde o corpo estava a mais de 30 dias.

A investigação apontou o Juninho planejou o assalto e que decidiu apertar o gatilho. Já Davi foi indiciado como co-autor do crime. Eles estavam presos desde 30 de outubro de 2015 preventivamente.

Caso Bento                                                                   Foto: Renan Contrera
O carro foi encontrado num casa
abandonada no dia seguinte
No dia 05 de setembro, Bento Cruz recebeu uma solicitação de corrida para Monte Aprazível, mas não retornou no dia, familiares e amigos ficaram preocupados. No dia seguinte o carro foi encontrado num casa abandonada no meio de um canavial na Zona Rural de Tanabi.

As buscas foram realizadas pelo Corpo de Bombeiros e a Policia Militar que contaram o apoio de familiares e amigos. O helicóptero Águia da PM auxiliou nas buscas.

Bento Cruz era motorista aposentado e fazia bico como taxista.

Leia também:


Fontes: Diário da Região | G1 – Rio Preto