domingo, 23 de outubro de 2011

23 de Outubro dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com 







          Hoje dia 23 de Outubro comemora-se  o dia da Aviação e da Força Aérea Brasileira que comemora 70 anos.Mas também nesse dia comemora um feito que marcou a historia o vôo de um objeto mais pesado do que a ar que foi realizado por um brasileiro Alberto Santos Dumund em 1906.Mas vamos ver um pouco da historia da aviação.


          A história da aviação remonta a tempos pré-históricos. O desejo de voar está presente na humanidade provavelmente desde o dia em que o homem pré-histórico passou a observar o voo dos pássaros e de outros animais voadores. Ao longo da história há vários registros de tentativas mal sucedidas de voos. Alguns até tentaram voar imitando pássaros: usar um par de asas (que não passavam de um esqueleto de madeira e penas, imitando as asas dos pássaros), colocando-os nos braços e balançando-os.
           Muitas pessoas acreditavam que voar fosse impossível, e que era um poder além da capacidade humana. Mesmo assim o desejo existia, e várias civilizações contavam histórias de pessoas dotadas de poderes divinos que podiam voar; ou pessoas que foram carregadas ao ar por animais voadores. O exemplo mais bem conhecido é a lenda de Dédalo e Ícaro. Dédalo, aprisionado na ilha de Minos, construiu asas feitas com penas e cera para si próprio e seu filho. Porém Ícaro aproximou-se demais do Sole a cera das asas derreteu, fazendo ele cair no mar e morrer. A lenda era um aviso sobre as tentativas de alçar aos céus, semelhante à história da Torre de Babel na Bíblia, e exemplifica o desejo milenar do homem de voar.
           A história moderna da aviação é complexa. Desenhistas de aeronaves esforçaram-se para melhorar continuamente suas capacidades e características tais como alcance, velocidade, capacidade de carga, facilidade de manobra, dirigibilidade, segurança, autonomia e custos operacionais, entre outros. Aeronaves passaram a ser feitas de materiais cada vez menos densos e mais resistentes. Anteriormente feitas de madeira, atualmente a grande maioria das aeronaves usa materiais compostos - como alumínio e fibras de carbono. Recentemente computadores têm contribuído muito no desenvolvimento de novas aeronaves e componentes.

Desenho do 14 Bis.

            Em 1906 um brasileiro conseguiu realizar uma das maiores proezas até hoje alcançadas pelo homem: voar. Alberto Santos Dumont (1873-1932), o pai da aviação, deixou um imenso público nos campos de Bagatelle, em Paris, perplexo. Era 23 de outubro, e a comissão esperava o sinal.

          Monsieur Albert deu os retoques finais em sua engenhoca e limpou as mãos. Sinalizou que iria começar e a multidão, que aguardava descrente, abriu caminho. A hélice do 14-Bis começou a girar. Depois de 100 metros percorridos pela máquina de bambu, Santos Dumont decolou para o primeiro vôo da história.

        O público assistiu a façanha atônito. O conjunto de 160 quilos conseguiu percorrer 60 metros no ar, entre dois e três metros de altura – até desabar no chão. A façanha surpreendeu a comissão que, deslumbrada com o homem-pássaro, esqueceu de cronometrar o feito.


            Mesmo assim, o acontecimento foi divulgado com grande entusiasmo em todo o mundo. Todos os jornais noticiaram, com fotografias autênticas, o vôo de Santos Dumont. Além de ter um monumento erguido no campo de Bagatelle em sua homenagem, o governo brasileiro instituiu o Dia do Aviador. 



Engenhoca de bambu torna-se 14-Bis

            Pela lei nº 218 o governo estabeleceu que 23 de outubro é Dia do Aviador. O objetivo é acentuar a “iniciativa do notável brasileiro Santos Dumont quanto à prioridade do vôo em aparelho mais pesado do que o ar”. 

            Este aparelho era uma engenhoca de bambu, revestida de linho. Foi chamado de 14-Bis porque, durante um teste – quatro meses antes do primeiro vôo -, foi acoplado em um balão nº 14. Era necessário avaliar se o avião, de 12 metros de envergadura por 10 de comprimento, tinha equilíbrio para voar.

            O motor do 14-Bis era um Antoinette de 50 cavalos. A hélice era instalada na ré, seguindo o que aprendeu em suas experiências com balões. A partir de 1897 Santos Dumont passa a pesquisar uma forma de adaptar um motor de explosão ao balão, conduzindo o aparelho.


O sonho

            O sonho de voar era antigo: na infância, leu “A volta ao mundo em oitenta dias” (de Júlio Verne). A partir desta leitura, Santos Dumont volta-se às suas experiências e invenções. 

            Depois de subir em um balão pela primeira vez, em 1897, empenha-se na tarefa de construir uma máquina que voasse de forma controlada. Começa a inventar o avião. 

            Em 1906 confirma o que seu pai teria escrito em uma carta: “O futuro do mundo está na mecânica”. Constrói a primeira máquina capaz de voar, em que o piloto escolhe a direção a ser tomada.

Parabéns a todos os Aviadores civis e militares "Feliz é o aviador que pode sentir a brisa nas alturas antes de todos, um feliz dia do aviador."


Fonte e fotos:Internet