domingo, 20 de novembro de 2011

OPERAÇÃO SACI – Segurança marca preparação para voos de lançamento de paraquedistas.

Renan Contrera 
renancontrera@hotmail.com



Quando um C-130 Hércules ou C-105 Amazonas decola da Base Aérea dos Afonsos, levando militares da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército, muitas ações já foram realizadas em terra para que o assalto seja cumprido com sucesso. Na Operação Saci, as ações aeroterrestres são precedidas por uma preparação que visa garantir a segurança operacional dos militares das duas Forças.
O comandante da Quinta Força Aérea, Brigadeiro do Ar Cesar Estevam Barbosa, lembra que, por se tratar de um exercício de emprego em massa, é testada a capacidade de coordenação e logística . “A primeira preocupação é a segurança de voo e nossas tripulações estão muito atentas. Estamos vivendo o treinamento”.
Ele lembra que há quase 10 anos não se realiza uma operação com tantos militares e aeronaves envolvidos. “Como o emprego será em massa, acho que não é oportuno nem adequado, é premente, é necessário, urge nosso treinamento com exercícos desse porte”, garante o Brigadeiro Estevam.
Do lado Verde Oliva, a preparação também é grande para atender os 1500 saltadores. Tudo deve estar coordenado para o lançamento aconteça como previsto. “O material que lidamos ao longo está diretamente ligado à vida humana e, por isso, é necessário cuidado especial. Em uma operação como a Saci, estamos mais próximos de uma situação real, com emprego em massa, com uma quantidade considerável de militares”, destaca o integrante da Companhia de Precursores Paraquedistas e responsável pelas operações na BAAF, Capitão Flávio Sentone Júnior.
Conforme ele afirma, o preparo inclui a separação dos paraquedas e do material que será empregado pelos saltadores, a preparação do local em que ficarão acondicionados antes da partida, a recepção dos paraquedistas e a distribuição e preparação dos militares para o embarque nas aeronaves.
Fonte: Agência Força Aérea