segunda-feira, 22 de julho de 2013

A participação da Defesa na Jornada Mundial da Juventude

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

 Entre os dias 23 e 28 de julho, o Brasil sedia a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), evento religioso que reúne, desde 1987, milhares de jovens com o papa. Durante este período o país recebe o papa Francisco, que tem atividades programadas nas cidades do Rio de Janeiro (RJ) e Aparecida do Norte (SP).
Tanto na Jornada quanto na visita do papa, o Ministério da Defesa participa, por meio da coordenação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), no planejamento e na execução das ações de segurança do pontífice e dos participantes da JMJ. O trabalho é integrado com o Ministério da Justiça e órgãos de segurança pública nos níveis federal, estadual e municipal. 
Para garantir o fornecimento regular de serviços à população e fiscalizar movimentações suspeitas em fronteiras, nos espaços aéreos ou marítimos, as Forças Armadas montaram um esquema de atuação em dez setores estratégicos de defesa do Estado: o de Defesa Aeroespacial e Controle do Espaço Aéreo; Defesa de Áreas Marítimas e Fluviais; Defesa de Estruturas Estratégicas; Emprego de helicópteros; Prevenção ao Terrorismo; Preparo e Emprego de Força de Contingência; Fiscalização de Explosivos; Segurança e Defesa Cibernética; Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear; além da cooperação na segurança de chefes de Estado, na Defesa Civil e na proteção das fronteiras. 
As atividades principais desses eixos visam ao aproveitamento da capacidade operacional das Forças Armadas no cumprimento de missões constitucionais e, quando for o caso, de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).
Efetivo
As Forças Armadas irão utilizar 12.259 homens na visita do papa. Serão empregados dois helicópteros olho de águia e dois Vants (veículos aéreos não tripulados) que têm funções de fiscalizar e monitorar movimentações em terra a partir do espaço aéreo.
“Estaremos protegendo 18 estruturas estratégicas das áreas de abastecimento de água, energia, telecomunicações e transportes de modo a permitir que o evento transcorra sem problemas”, disse o comandante da 1ª Divisão de Exército e do Centro de Coordenação e Defesa de Área (CCDA), do Rio de Janeiro, general José Alberto da Costa Abreu, ao explicar que as Forças Armadas contarão com efetivo de 10.200 militares na capital fluminense.

O apronto das tropas em Aparecida do Norte (SP) também foi concluído. No local, 2.059 militares das três Forças atuarão durante a visita do papa Francisco.
A Aeronáutica empregará dez aeronaves no apoio logístico ao evento, dentre as quais helicópteros H-60 Black Hawk e VH-34/H-34 Super Puma. Também haverá emprego de aviões C-130 Hércules, EMB 190 E e RQ-450, que estarão de prontidão para qualquer eventualidade.

Além dessas aeronaves haverá emprego de outros meios aéreos nas operações de segurança durante o evento e a visita do papa.
A Marinha empregará seis navios e 16 embarcações de menor porte nas ações de defesa marítima ao longo do litoral da cidade do Rio de Janeiro e Baía de Guanabara. Dentre os meios navais serão utilizados navios-patrulha e fragatas.