segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Marinha do Brasil envia navios para a 32ª Operação Antártica de apoio à pesquisa no continente

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Já estão em travessia rumo à Antártica duas embarcações da Marinha do Brasil que serão usadas para suporte às atividades de pesquisa científica no continente. Trata-se do Navio Polar “Almirante Maximiano” e do Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel”. 

                                            Foto: Arquivo/ Marinha do Brasil 


As embarcações vão ser empregadas em tarefas diversificadas, como manutenção de abrigos situados nas ilhas da região; apoio a projetos de ciência e tecnologia em áreas de oceanografia, biologia, geologia, meteorologia, entre outras; levantamento oceanográfico; e coleta de amostra de solo e água. 

Ambas serão utilizadas, ainda, no reabastecimento dos Módulos Antárticos Emergenciais, construídos no último verão do continente, na Estação Comandante Ferraz – base militar brasileira mantida na localidade. 

A viagem começou na manhã de ontem (6), quando os veículos navais desatracaram da base situada na Ilha de Mocangue, em Niterói (RJ). Desta forma, teve início a 32ª Operação Antártica (Operantar). Com regresso previsto para a metade de abril de 2014, os navios farão escalas nos portos de Rio Grande (RS), Buenos Aires e Ushuaia (Argentina), Punta Arenas (Chile) e Montevidéu (Uruguai). 

Projeto Antártico 

Desde 1982, com o início do Programa Antártico Brasileiro (Proantar), a Força Naval coordena uma série de ações voltadas ao apoio ao ensino no continente gelado e mantém a presença do país no local. A Operação Antártica é a mais complexa e extensa atividade realizada regularmente pela Marinha. 

Embarcações 

O “Ari Rongel” está preparado para navegar em regiões polares e pode operar em campos de gelo fragmentado. Possui dois laboratórios para apoio a pesquisa, transporta dois helicópteros que são usados tanto para carga quanto passageiros. 

Já o “Almirante Maximiano” é dotado de cinco laboratórios e uma estação meteorológica. Carrega dois helicópteros e um destacamento aéreo embarcado de 13 militares. 

Cada um dos navios conta com equipe de quatro mergulhadores, da Força de Submarinos da Esquadra Brasileira. 


Fonte: Ministério da Defesa