segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Esqudrilha da Fumaça comemora seus 60 anos com uma grande festa.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Nos dias 12 e 13 de maio de 2012, a Esquadrilha da Fumaça irá comemorar seus 60 anos de criação com o maior show aéreo do Brasil! Será um evento sem precedentes no país, com a presença confirmada das melhores esquadrilhas civis e militares da América do Sul, diversos aviões de combate, shows musicais, além da tentativa da Fumaça de incrementar seu próprio recorde mundial voando com 13 aeronaves na ala no dorso, na presença de um público estimado em mais de 100 mil pessoas. Faça parte dessa festa histórica! Fumaça... Já!

Vídeo produzido pela Farol Filmes com imagens do DVD Asas e Coração - para conhecer mais, veja o site www.esquadrilhadafumaca.com.br/loja

RESGATE – Esquadrão Pelicano simula atuação em locais de difícil acesso.

Militares da Força Aérea treinaram missões de busca e resgate em Rochedinho, a 40 km de Campo Grande (MS).

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Fotos:Divulgação/Força Aérea Brasileira

Situações de queda de aeronave e de resgate de feridos em áreas remotas foram vivenciados por militares do Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV). Eles participaram de um exercício na zona rural do município de Rochedinho (MS), a 40 km de Campo Grande (MS). No treinamento, foi empregado um Helicóptero H-1H e uma aeronave C-105 Amazonas. Entre observadores SAR, pilotos, mecânicos de vôo, equipes de resgate e de apoio, 53 militares foram envolvidos na missão.
A simulação objetiva deixar os militares do esquadrão ainda mais operacionais para atuar em missões de busca e resgate. O exercício dos Pelicanos, realizado durante três dias, terminou nesta semana (22/11). Nele, foi incluído desde o acionamento para a missão até o resgate. Foram realizadas ações de lançamento de paraquedistas e de fardos com víveres e material médico, rapel a partir de helicóptero, içamento tipo situações (utilizando o guincho de resgate) e atendimento de primeiros socorros a várias pessoas simultaneamente.
Para ficar o mais próximo possível da realidade, foi montada uma estrutura que simulava a fuselagem de uma aeronave. Ela foi colocada em uma área com diversos obstáculos naturais, como árvores, pedras, terra e desnível no terreno. Dentro da estrutura, pessoas simulavam ser vítimas do acidente e aguardavam por socorro.
Para cada uma das ações realizadas, havia um limite de tempo necessário para o cumprimento. Ao final os militares do 2°/10° GAv conseguiram executar todas as etapas como havia sido previsto no planejamento.
Fotos do treinamento dos militares da Força Aérea.
Fonte: Agência Força Aérea

EDUCAÇÃO - Escola de Especialistas de Aeronáutica forma 663 novos sargentos.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


                                                                                     Fotos:Divulgação/Força Aérea Brasileira

Disciplina, amor e coragem. Esses foram os sentimentos que marcaram a cerimônia de formatura dos 663 novos sargentos da 233ª turma do Curso de Formação de Sargentos (turma Orion) e da 17ª turma do Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento (turma Harpia), realizada nesta sexta-feira (25/11), na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em Guaratinguetá (SP).
Presidida pelo Ministro da Defesa, Celso Amorim, acompanhado do Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito, a formatura foi marcada pela alegria dos formandos. Os mais de seiscentos novos Sargentos, além das turmas do primeiro, segundo e terceiro semestres, desfilaram e cantaram com vibração e orgulho pelo feito alcançado.
“Este é um momento de intensa alegria familiar, em que anos de devoção, amor e altruísmo deram fruto ao mais nobre sentimento de vitória. Persigam seus objetivos com dedicação, coragem e honestidade de propósitos, pois estes valores os conduzirão à conquista de seus maiores sonhos”, disse o Comandante da Aeron  áutica dirigindo-se aos formandos e familiares.
No dispositivo que mostrava uma divisa de Sargento, os formandos receberam de seus familiares o mais aguardado presente – a insígnia de Terceiro Sargento da Força Aérea Brasileira (FAB).
Os formandos Victor Rodrigues da Silva, Abner de Oliveira Cruz e Pedro Victor Siqueira Lima receberam prêmios do Ministro da Defesa e do Comandante da Aeronáutica pelas primeiras colocações em seus respectivos cursos.
“Estamos todos muito emocionados. Meu pai, marido, tios e filhos, todos são militares. Estou muito feliz da minha filha também ter seguido esse caminho. Ela nos deixa muito orgulhosa por esse feito alcançado”, disse emocionada Fantine Carvalho Minuzzi, mãe da Terceiro Sargento Nádia Minuzzi, uma das mais nova controladora de tráfego aéreo da FAB.
O Ministro Celso Amorim lembrou a importância daquele momento para os formandos. 
“Posso dizer que essa é uma das mais belas, senão a mais bela formatura que já estive. Este é um momento especial. Vejo no rosto de cada um de vocês a vontade e o desejo de cumprir o seu dever. Fico emocionado ao ver as famílias dividindo esse momento crucial para suas vidas e para o nosso país”, afirmou o ministro.
Após a apresentação do Clube de Ordem Unida, os novos sargentos formaram o Gládio Alado – símbolo da Força Aérea Brasileira – no pátio do comando. Ao som da canção do especialista, desfilaram pela última vez. Para encerrar, o último grito de guerra foi cantado a plenos pulmões pelas turmas Orion e Harpia. O “fora de forma” abriu caminho para a nova carreira.
EEAR – 70 anos de história
A Escola de Especialistas de Aeronáutica foi criada no mesmo ano que o Ministério da Aeronáutica, em 1941. O berço dos especialistas forma todos os anos cerca de 1000 alunos em 27 especialidades distribuídas em dois cursos: o Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento (com duração de seis meses) e o Curso de Formação de Sargentos (com duração de dois anos).No início, a escola era localizada na Escola de Aviação Naval, na Ponta do Galeão, na Ilha do Governador (RJ). Em 1950, a escola se mudou do Rio de Janeiro para as salas de aula da Escola Prática de Agricultura de Guaratinguetá (SP). Desde essa mudança, mais de 63.000 sargentos já passaram pela Escola de Especialistas. Atualmente, a escola ocupa aproximadamente 10 milhões de metros quadrados, contendo 125 prédios administrativos e 415 residências militares. A partir de 2002, a EEAR passou a receber também mulheres. Na turma deste ano, 263 mulheres se formaram.
Fotos da Formatura dos novos Sargentos da Força Aérea Brasileira.
 
Fonte: Agência Força Aérea

DOE SANGUE DOE VIDA - A Fumaça apoia essa causa.

Renan Contrera 
renancontrera@hotmail.com



Dia 25 de Novembro onde é o Dia Nacional do Doador de Sangue e a Esquadrilha da Fumaça apoia essa causa. Pela manhã, foi feito uma demonstração na Universidade de Campinas (Unicamp), em frente ao Hemocentro, para homenagear as pessoas que já são doadoras e incentivar outras a tomarem essa atitude nobre e solidária.
De acordo com o Ministério da Saúde, durante esta semana, todos os hemocentros do país realizaram eventos no intuito de conscientizar a população.
O céu de Brigadeiro contribuiu e a escrita com fumaça do slogan DOE SANGUE - DOE VIDA sensibilizou a todos os funcionários e estudantes presentes. Mas o apoio da Fumaça não ficou só no céu. Enquanto as aeronaves faziam suas acrobacias, integrantes da equipe deram o exemplo e doaram sangue, como a Ten Cristiane, Médica do Esquadrão. "Como médica, sei da importância da doação, principalmente em períodos como estes de final de ano, em que, naturalmente, aumenta a demanda no uso de sangue e derivados, mas diminuem as doações. Como representante da Força Aérea Brasileira, creio que esta ação é um exemplo aos meus colegas de farda para que também ajudem a salvar vidas. Espero que a apresentação de hoje tenha chamado a atenção das pessoas para essa causa. "
Essa foi uma ótima iniciativa que fez uso de um Esquadrão de comunicação social para a divulgação de um gesto tão importante como esse. Em suas apresentações, a Esquadrilha da Fumaça leva alegria a milhares de pessoas e, com essa ação, buscou a solidariedade do público em prol dessa campanha.
DOE SANGUE. DOE VIDA
FUMAÇA... JÁ!

Fotos cedidas pela Esquadrilha da Fumaça.

Ten Méd Cristiane no momento da doação.

Equipe da Fumaça com equipe do Hemocentro da Unicamp
Cap Av Pivovar
S1 Bichoff

Fonte:Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA)

O CORPO DE BOMBEIROS DE TANABI ATENDEU 19 OCORRÊNCIAS NESTE FINAL DE SEMANA .

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

A BASE DE BOMBEIROS DE TANABI registrou neste final de semana 19 Ocorrências. Entre elas foram: 05 Acidentes de transito, 10 Resgate (emergência clinica, mal súbito e quedas), 03 Salvamento, e 01 Incêndio, sendo que 12 vitimas foram socorridas para a Santa Casa de Tanabi e 01 vitima fatal  
As ocorrências de destaque aconteceram dia 25 (sexta) por volta das 18:05, na Rodovia Izidoro Saran – Zona Rural, onde pelo o local tratava-se de um acidente de trânsito com vitima, onde a vitima P.B de 22 anos (moradora de Tanabi) foi encontrada em pé fora do veiculo, apresentando contusão e corte contuso na face e escoriações pelo cotovelo. A mesma foi estabilizada e socorrida pelos Bombeiros de Tanabi e levada a Santa Casa. Não sabemos o motivo do acidente.
A outra ocorrência aconteceu dia 26 (sábado) por volta das 00:50, na Rua Benedito Sampaio- Centro, onde segundo a vitima M.O.R de 36 anos (morador de Bálsamo) ela tinha sido vitima de um assalto,onde os bandidos queriam roubar sua moto e que levou dois disparos de uma arma de fogo. A vitima sofreu ferimentos na face e membro superior (braço) devido aos disparos. Até o momento não temos informações sobre apreensão dos indivíduos.
 A outra ocorrência grave aconteceu ontem dia 28, na Rodovia Euclides da Cunha Km 495, por volta das 11:33, onde pelo o local houve um acidente de trânsito com vitimas, envolvendo 03 veículos, um Honda Civic conduzido por Manoel Alves Pinheiro de 31 anos que não resistiu aos ferimentos vindo então falecer no local, o outro veiculo foi um caminhão Volvo FM 370 conduzido por E.O.C de 31 anos com ferimento leves e o outro veiculo também foi um caminhão Volvo Fh 12 conduzido por A.J.S de 53 anos sofrendo então ferimentos leve. O caminhão Volvo ficou parcialmente queimado devido ao acidente. Segundo informações no local, o Honda Civic estava fazendo uma ultrapassagem, quando colidiu com a carreta Volvo.
                                                                                          Foto:G1.globo.com
Momento em que os Bombeiros controlam o incêndio.

                                                           Foto:Correio Santa Fé

Momento da chegada dos Bombeiros de Tanabi.

                                                      Foto:Correio Santa Fé
 Destaque
O combate a chamas pelos Bombeiros.

Os Bombeiros de Tanabi agradece pela divulgação desta nota, tenham todos uma ótima semana e que DEUS os abençoe.

2°Sgt da PM De Oliveira 
Comandante dos Bombeiros de Tanabi

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Tenente-Brigadeiro Ramon é agraciado com o Troféu Asas da Paz

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



O Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro-do-Ar Ramon Borges Cardoso, foi agraciado, no último dia 28 de outubro, com o Troféu Asas da Paz.
Foto:Divulgação/Decea
Momento da entrega do troféu.
A condecoração foi celebrada na ocasião do II Seminário Nacional de Aviação – promovido pela Confederação Nacional do Comércio, na cidade do Rio de Janeiro.
Oferecido anualmente pelo Movimento Asas da Paz e pelo Conselho de Turismo da Confederação Nacional do Comércio, o Troféu Asas da Paz tem por finalidade destacar as práticas  bem-sucedidas em prol da aviação brasileira e que contribuam para sua modernização e para a pacificação da sociedade.
Em suas palavras de agradecimento, o Tenente-Brigadeiro Ramon destacou o êxito alcançado pelo Brasil (95% de conformidade) na Auditoria Internacional da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), quando ficamos entre os três melhores do mundo.
Nas palavras do oficial-general: “o Brasil deixou de ser um ouvinte; passou a ser um protagonista mundial. Hoje nós somos chamados para falar no mundo inteiro sobre o controle de tráfego aéreo”.
Fonte:Assessoria de Comunicação Social do DECEA (Departamento de Controle Espaço Aérea).

BUSCA E RESGATE- Nova aeronave da FAB encontra veleiro holandês.

A aeronave P-3AM Órion localizou com o auxílio de sensores a embarcação que estava a 315 quilômetros do litoral do RJ.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com.

Fotos:Divulgação/Força Aérea Brasileira
foto
Foto do Veleiro Holandês encontrado por
aeronave da Força Aérea Brasileira.
Há menos de dois meses em operação na Força Aérea Brasileira (FAB), a aeronave P-3AM Órion, incorporada no mês de setembro ao Primeiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação, Esquadrão Orungan, sediado na cidade de Salvador (BA), já teve um grande batismo de fogo. Na terça-feira (22/11), a aeronave realizou com sucesso a sua primeira missão real de busca e resgate. Sob a coordenação da Segunda Força Aérea, o P- 3 AM localizou o veleiro holandês Rolleman, à deriva havia dois dias. A embarcação encontrava-se aproximadamente a 315 quilômetros do litoral do Estado do Rio de Janeiro.
A embarcação,comandada pelo holandês Albert Deschipper, de 72 anos, partiu da Holanda em uma viagem de mais de um mês pelo Oceano Atlântico para encontrar com a esposa na cidade de Lapaloma, no Uruguai. Após uma parada para abastecimento em Cabo Verde, no dia 19 de outubro, Deschipper já seguia com o veleiro pela costa brasileira quando se perdeu na área da Bacia de Campos, no Estado do Rio de Janeiro. 
Ao receber o aviso de emergência do Salvaero Brasília, o Comando-Geral de Operações Aéreas estabeleceu prontidão operacional para duas de suas unidades de Patrulha marítima, o Primeiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (Esquadrão Orungan), e o Quarto Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação, Esquadrão Cardeal.  
O Salvaero Brasília contactou a Segunda Força Aérea às 4 horas da terça-feira (22/11) que acionou o Esquadrão Orungan. A tripulação do P-3 AM decolou imediatamente ao nascer do sol, às 6h, para as buscas do veleiro. Na missão também houve a participação de uma aeronave P-95, Bandeirante Patrulha, do Esquadrão Cardeal.  
P-3 ORION
Aeronave usada na busca do Veleiro Holandês.
“A missão foi desenvolvida em duas etapas. Uma na parte da manhã, indo até as 13 horas, e outra na parte da tarde, perfazendo um total de 10h40 de voo”, explica o piloto da aeronave e Chefe de Operações do Esquadrão Orungan, Tenente Coronel Paulo Rogério Sobrinho, comandante da aeronave. 
Na primeira missão de salvamento do P-3 AM, a localização do veleiro foi possível graças aos equipamentos de ponta de que dispõe a aeronave. Para encontrar o Rolleman, a tripulação utilizou os modernos sensores eletrônicos do P3-AM, como o radar e o flir, além da busca visual.

“Pelas dimensões, a embarcação era difícil de ser visualizada, já que possuía apenas 13 metros de comprimento. Mas a tripulação tinha experiência em busca e salvamento e utilizou os recursos do P-3AM. Além da busca visual, empregou a busca radar”, explica o Tenente Coronel Sobrinho.  “Participar de uma missão dessa natureza e salvar uma vida é uma grande satisfação. O sucesso foi mérito de todos os participantes da equipe”, complementa o oficial. 
Fonte: Agência Força Aérea

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Gestão do Cel Telhada foi a "redenção" da Rota, diz Ferreira;.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



Trabalho, firmeza, educação e legalidade. Foi com essas palavras que o coronel Paulo Adriano Telhada resumiu a sua gestão de dois anos e meio no comando do 1º Batalhão de Choque - Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). 
                                                                                                                         Fotos:Internet
Utilizando a farda de coronel pela primeira vez (pois era tenente-coronel), Telhada se despediu de seu batalhão em uma cerimônia, na tarde desta sexta-feira (18). Durante esse tempo no comando, houve aumento no número de prisões, apreensões de drogas e armas. “Coloquei novamente a ROTA no patamar de honra de onde nunca deveria ter saído”, disse o coronel em seu discurso. 
Ele contou sua trajetória na polícia, agradeceu seus familiares pelo apoio e chamou uma vítima de uma das ocorrências atendidas pelo batalhão para conceder um depoimento. No final, emocionado, Telhada se dirigiu aos soldados pela última vez e disse: “Rota! Missão dada, missão cumprida!”. 
Presente à cerimônia, o secretario da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, contou como foi a sua decisão de trazer novamente o então tenente-coronel para o comando do 1ºBPChq, depois de ter ficado quase 17 anos longe. E elogiou: “Ao coronel Telhada foi destinada uma missão e ele a cumpriu de forma exemplar, sempre dentro da legalidade”, disse Ferreira. 
Quanto aos números positivos de combate à criminalidade do 1º BPChq, o secretário os atribuiu ao bom desempenho de uma tropa organizada que sempre teve uma pronta resposta contra o crime organizado, e finalizou: "Esses dois anos e meio foram a redenção da ROTA”. 
Também estiveram presentes à solenidade a delegada geral adjunta, Ana Paula Batista Ramalho Soares, o subcomandante da PM, coronel Danilo Antão Fernandes, que representou o comandamte geral Álvaro Batista Camilo, que está em viagem, e o diretor do DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado Jorge Carlos Carrasco.
A partir de amanhã (19), o major Walter Mendes Magalhães Junior passará a responder interinamente pelas Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota).
Vivian Goltl
Vídeos




Fonte:Secretaria de Segurança Publica do Estado de São Paulo 

Hares - Força Aérea realiza exercício na região Nordeste.

Exercício mobiliza mais de 600 militares num cenário de conflito simulado nos Estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

                                                                          Fotos:Divulgação/Força Aérea Brasileira                                  
fotoAté 24 de novembro, a região Nordeste do país será palco de treinamento dos militares da Força Aérea Brasileira. O espaço geográfico onde acontece o conflito, chamado na linguagem militar de teatro de operações, abrange os Estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. As cidades envolvidas são Mossoró, Maxaranguape e Natal.

Durante quatro dias, o exercício vai proporcionar o treinamento de mais de 600 militares. Será também um momento importante para quase 150 militares aviadores, infantes e intendentes da turma Hares, formada na Academia da Força Aérea (AFA) há quase um ano, que por meio do exercício aprimora o estágio de especialização. “Numa operação aérea, como agora, fica evidente a grande interdependência entre os três quadros”, afirma o Brigadeiro do Ar José Hugo Volkmer, comandante da Primeira Força Aérea (I FAE) durante o briefing geral antes do início do exercício.
Diversas aeronaves de caça, patrulha, reconhecimento, transporte, e helicópteros estarão envolvidas no exercício que prevê missões de infiltração, resgate, patrulha maritima, ataque, reconhecimento, lançamento de paraquedistas e ressuprimento, entre outras. A região já está movimentada com a chegada dos primeiros militares e dos equipamentos que preparam a operação.

foto


A Direção do Exercício  está sediada na Base Aérea de Natal. Na cidade de Mossoró, estará concentrado o maior número de militares. É desta área que a maior parte das aeronaves envolvidas no exercício vão decolar para cumprir as missões e onde está montada a Unidade Celular de Intendência (UCI), que fornece o apoio logístico para a operação.

Cenário simulado - O Exercício Hares simula uma situação real de disputa de fronteira entre dois países fictícios: Costa Verde e Caatinga. Os motivos do conflito fictício são questões políticas e econômicas. Caatinga incorporou uma área economicamente viável, repleta de recursos naturais de Costa Verde. Depois de esgotar todas as esferas diplomáticas internacionais para a recuperação do território, Costa Verde decide utilizar as forças militares.

É neste momento que se configura o Exercício Hares. Por meio da Força Aérea Componente 101 (FAC), serão empregadas as aeronaves de forma conjunta ou isolada, em missões de manutenção da superioridade aérea, interdição e sustentação ao combate. O cenário fictício poderá simular hipótese de emprego (HE), ou seja, utilização de armamento, contra forças militares oponentes.

Ação Cívico Social - No período da operação, a FAB também vai realizar uma Ação Cívico Social (Aciso) em Mossoró. Uma unidade de atendimento odontológico móvel – Odontomóvel – vai ficar no aeroporto da cidade à disposição da população das comunidades próximas para campanha de higiene bucal e atendimentos odontológicos.


Fonte: Agência Força Aérea


domingo, 20 de novembro de 2011

OPERAÇÃO SACI - Aeronave da FAB faz lançamento de cão paraquedista.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Fotos:Divulgação/Força Aérea Brasielria 
Adam veste verde oliva, serve na Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército e tem a cor marrom nos pés. Nesta semana (18/11), na Base Aérea do Afonsos (BAAF), ele embarcou em um avião C-105 Amazonas do Esquadrão Arara (1/9 Gav). Adam é paraquedista, mas é um cão de oito anos, da raça Rottweiler. Integrante do 36 Pelotão de Polícia do Exército, ele saltou acompanhado por militares do Exército, na Zona de Lançamento de Itaguaí, neste último dia da Operação Saci. Há mais de 10 anos, a Força Aérea e o Exército não realizavam uma missão envolvendo lançamento de animais.
Adam foi o centro das atenções ao chegar na BAAF e posou para várias fotos. O cachorro saltou com seu próprio paraquedas e é um animal operacional. Empregado como cão de ataque, ele atua em missões de patrulha e esteve presente, inclusive, na operação de garantia da lei e da ordem no Complexo do Alemão. Sua preparação para o salto de hoje começou no início do ano e demandou estudo e adaptações que garantissem sua segurança.
Segundo o Comandante do 36º Pelotão de Polícia do Exército, Tenente Daniel Totto Bianco, foi realizado um estudo com apoio do Centro de Instrução e do Batalhão de Dobragem, Manutenção de Paraquedas e Suprimento pelo Ar (DOMPSA), ambos da Brigada Paraquedista. Ele lembra que um protótipo foi montado e, a partir dele, foram sendo efetuadas a modificações necessárias até que a melhor configuração fosse alcançada.
"Utilizamos um equipamento de rapel, que foi desenvolvido pelo DOMPSA e que hoje é usado até pela Polícia Militar. Em cima dele, começamos a trabalhar os pontos de pressão, ancoragem e de distribuição do peso do animal", destaca ele.
Fonte: Agência Força Aérea

OPERAÇÃO SACI – Segurança marca preparação para voos de lançamento de paraquedistas.

Renan Contrera 
renancontrera@hotmail.com



Quando um C-130 Hércules ou C-105 Amazonas decola da Base Aérea dos Afonsos, levando militares da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército, muitas ações já foram realizadas em terra para que o assalto seja cumprido com sucesso. Na Operação Saci, as ações aeroterrestres são precedidas por uma preparação que visa garantir a segurança operacional dos militares das duas Forças.
O comandante da Quinta Força Aérea, Brigadeiro do Ar Cesar Estevam Barbosa, lembra que, por se tratar de um exercício de emprego em massa, é testada a capacidade de coordenação e logística . “A primeira preocupação é a segurança de voo e nossas tripulações estão muito atentas. Estamos vivendo o treinamento”.
Ele lembra que há quase 10 anos não se realiza uma operação com tantos militares e aeronaves envolvidos. “Como o emprego será em massa, acho que não é oportuno nem adequado, é premente, é necessário, urge nosso treinamento com exercícos desse porte”, garante o Brigadeiro Estevam.
Do lado Verde Oliva, a preparação também é grande para atender os 1500 saltadores. Tudo deve estar coordenado para o lançamento aconteça como previsto. “O material que lidamos ao longo está diretamente ligado à vida humana e, por isso, é necessário cuidado especial. Em uma operação como a Saci, estamos mais próximos de uma situação real, com emprego em massa, com uma quantidade considerável de militares”, destaca o integrante da Companhia de Precursores Paraquedistas e responsável pelas operações na BAAF, Capitão Flávio Sentone Júnior.
Conforme ele afirma, o preparo inclui a separação dos paraquedas e do material que será empregado pelos saltadores, a preparação do local em que ficarão acondicionados antes da partida, a recepção dos paraquedistas e a distribuição e preparação dos militares para o embarque nas aeronaves.
Fonte: Agência Força Aérea

OPERAÇÃO SACI – Aeronaves da Força Aérea lançam paraquedistas no Rio de Janeiro.

Esquadrões da FAB e paraquedistas do Exército realizam treinamento.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                          Foto:Divulgação/Força Aérea Brasileira 
Em um território dominado pelo inimigo, um grupo de militares se infiltra e prepara a área para que outros homens possam desembarcar, em um assalto em massa, e ganhar o terreno oponente. Esse foi cenário que integrantes da Companhia de Precursores Paraquedistas da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército encontraram na Operação Saci, que termina hoje (18/11) na Base Aérea dos Afonsos (BAAF), no Rio de Janeiro. Os Precursores são os primeiros a chegar no campo de batalha e realizam levantamento de informações e que auxiliam o trabalho de inteligência.
Mesmo antes de o exercício ser iniciado, os militares de cobertura vermelha já estavam atuando. “Desde a semana passada nós estamos com essas equipes em isolamento, realizando um trabalho específico de estudo na carta, no terreno, em imagens de satélite, para que eles possam planejar a sua infiltração e operar em segurança na Zona de Lançamento de Itaguaí”, explica o Comandante da Companhia de Precursores Paraquedistas, Major Anderson Ramos Marques.
Segundo ele, já na segunda-feira (14/11) duas equipes foram infiltradas no entorno da Zona de Lançamento de Itaguaí, sendo uma no eixo norte, por Resende, e outra no eixo Sul, por Guaratiba. Os dois grupos se encontrarão em um determinado ponto, onde trocarão as informações que levantaram durante os seus percursos. Esses dados também serão remetidos à Brigada Paraquedista. “A Companhia de Precursores é uma fração especialmente treinada, adestrada e equipada para realizar esse tipo de infiltração”, lembra o militar, destacando que a configuração ustilizada na operação é a mais próxima possível do real.
O integrante da Companhia de Precursores e responsável pelas operações na BAAF, Capitão Flávio Sentone Júnior, ressalta que os Precursores são a única tropa especial que a Brigada Paraquedista possui. Apoiados pela Força Aérea, esses militares podem atuar em qualquer região do país. “É uma tropa em condições de ser utilizada em todo o território nacional. Assim como nós estamos realizando a Operação Saci aqui, no Sudeste do Brasil, ao longo do ano também atuamos nas outras regiões”.
De acordo com o Capitão, as missões que os Precursores têm como doutrina são a operação de Zona de Lançamento e de Zona de Pouso de Helicóptero, a atuação como Guia Aéreo Avançado, definindo alvo para o empergo de aeronaves de Caça da FAB, e o monitoramento de região de interesse para inteligência. O grupo também é empregado em operações de garantia da lei e da ordem, tendo atuado na pacificação de comunidades dos Complexos do Alemão e da Penha, no Rio de Janeiro.


Fonte: Agência Força Aérea

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O CORPO DE BOMBEIROS DE TANABI ATENDEU 28 OCORRÊNCIAS NESTE FINAL DE SEMANA PROLONGADO.

Renan Contrera 
renancontrera@hotmail.com



A BASE DE BOMBEIROS DE TANABI registrou neste final de semana 28 Ocorrências. Entre elas foram: 03 Acidentes de transito, 18 Resgate (emergência clinica, mal súbito e quedas), 02 Salvamento, e 05 Outras ocorrências de Bombeiros (vistoria), sendo que 26 vitimas foram socorridas para a Santa Casa de Tanabi. 
                                                                                                          Foto:Acervo 
Vitima sendo atendida pelos Bombeiros 

A ocorrência de destaque aconteceu dia 14 (segunda-feira) por volta das 11: 30 na Rodovia Euclides da Cunha, Km 491, onde pelo o local houve um engavetamento envolvendo 03 veículos (Fiat Uno, Parati e Honda Civic), sendo que 07 pessoas ficaram feridas. O Corpo de Bombeiros de Tanabi chegou até ao local e atendeu 03 vitimas, enquanto as demais vítimas recusaram o atendimento por sofrer ferimentos leves. As vitimas foram I.M.Z de 64 anos, D.B.S de 76 anos, H.R.F de 49 anos, todos moradores de Rio Preto-SP e D.B.J de 41 anos, G.B.N de 14 anos, E.A.S (não foi possível verificar sua idade), O.R de 70 anos, todos moradores de Limeira-SP. Não houve vitima grave neste acidente. 
Os Bombeiros de Tanabi agradece pela divulgação desta nota, tenham todos uma ótima semana e que DEUS os abençoe.

2ºSgt De Oliveira 
Comandante dos Bombeiros 

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

NOVO – Comando da Aeronáutica cria Dia do Material Bélico.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                                          
                                                                                  Fotos:Divulgação/Força Aérea Brasileira 
No dia 11 de novembro de 1944, durante a campanha aliada na Itália, a Força Aérea Brasileira (FAB) fez história. Nesse dia, pilotos do Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA) voaram como unidade independente pela primeira vez na Segunda Guerra Mundial, a bordo dos lendários aviões P-47 Thunderbolt. Por esse motivo, a data foi escolhida para celebrar, de agora em diante, o Dia do Material Bélico de Aeronáutica.
Ao final da campanha em 1945, impressionavam os números obtidos pelos militares da FAB como integrante do 350th Figther Group USAF, unidade americana à qual os brasileiros estavam subordinados. O segredo do sucesso? Os brasileiros eram conhecidos pela eficiência. Em combate, os pilotos apresentavam resultados expressivos e, em terra, os especialistas de diversas áreas eram capazes de colocar um avião em operação na metade do tempo das outras equipes aliadas.
Criativos, os especialistas da FAB mudaram uma série de procedimentos, para aprimorar o apoio aos pilotos, e chegaram a resolver problemas de projeto nas aeronaves, como ocorreu na campanha em relação ao P-47 Thunderbolt.
Para o responsável pelo grupo de trabalho que fundamentou a criação da data e Diretor do Parque de Material Bélico da Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAMB-RJ), Coronel Aviador Cláudio Aragão, esta é uma oportunidade de homenagear não só os especialistas em material bélico, mas todos os profissionais que estão envolvidos direta ou indiretamente com a área. “Normalmente, vemos a aeronave já armada e pronta e não percebemos o trabalho dos profissionais em terra que preparam o armamento.”
Segundo o Tenente Coronel Especialista em Armamento Sérgio Xavier de Lima, da 4ª Subchefia do Comando-Geral de Apoio (COMGAP), que trabalha há 38 anos na área, esta é uma atividade que implica cuidados peculiares. “Ao manusear uma arma é necessário observar uma série de cuidados com a sua segurança e dos que estão a sua volta”, afirma.
Profissional - A atuação do especialista em armamento é ampla. Ele é responsável pelos serviços técnicos de manutenção, estocagem e instalação de material bélico aéreo e terrestre. O profissional atua ainda no emprego de armamentos terrestres, na instrução de tiro com armas portáteis.
De acordo com o Major Especialista em Armamento Ricardo Henrique da Rocha, a atuação do especialista em armamento assegura a manutenção da atividade fim da FAB. Ele também observa que esses profissionais podem trabalhar na manutenção dos óculos de visão noturna (NVG), de mísseis, de canhões, na harmonização dos sistemas de armas das aeronaves com seu sistema ótico de pontaria, denominado “head-up display”, instalando ou neutralizando bombas de aviação, como tripulante a bordo de aeronaves de combate e em outras inúmeras atividades.
O especialista também é responsável pela manutenção do estande de aviação, local onde é empregado armamento aéreo. Após o exercício é necessário ser feita a descontaminação - busca dos itens que foram lançados no campo de treinamento e que falharam.
Patrono - O grupo de trabalho indicou como patrono da data o Tenente Coronel Especialista em Armamento Jorge da Silva Prado, que teve uma vida dedicada à FAB. O pedido depende de aprovação do Congresso Nacional.
Prado nasceu em São Paulo, em 9 de Fevereiro de 1921. Foi declarado aspirante em 1943, ano em que foi para os Estados Unidos da América onde se especializou em armamento para assumir a chefia da Seção de Material Bélico do 1º Grupo de Aviação de Caça na Campanha da FAB na Itália, na 2ª Guerra Mundial.
Além de controlar e fazer a manutenção do armamento, realizou diversas atividades como o remuniciamento dos aviões, harmonização das metralhadoras com o visor do tiro, conjugação de comando de disparo das metralhadoras com as câmeras cinematográficas para registro dos resultados das missões.
Ao regressar ao Brasil, introduziu novos métodos de armazenagem de material bélico, modificou o Sistema de Ordens Técnicas e estabeleceu nomenclatura padrão, que foi adotada pelas Forças Armadas do Brasil. Prado também idealizou alguns tipos de bombas incendiárias e respectivas espoletas, produziu os primeiros foguetes de aviação fabricados no Brasil e desenvolveu, juntamente com oficiais do Exército, novos tipos de propelentes sólidos.
 
Fonte: Agência Força Aérea
Veja fotos dessa Profissão.